segunda-feira, 4 de junho de 2012

Armadas ao vento #01


-Cara, tu não tá ligado na situação, a menina até que ia de bem a mais ou menos, mas bafo de feijão complicou um pouco as coisas... Mas aí rola fazer aquela inserção emergencial de balas, já sabe...
Enquanto tocava notas aleatórias em seu violão, Shears contava a Luke as aventuras ou, melhor dizendo, desventuras da noite passada.  
-Não faz sentido, meu querido, em uma turma de quatro meninas você beija a mais feia?
-Opa, opa, opa, mais feia não! A gordinha de rosa conseguia ser pior, certamente. – disse o rapaz em um tom receoso – Bem, ao menos tinha todos os dentes na boca!
             Eram com essas e outras atitudes do companheiro que Luke ficava perplexo com a cara de pau e, principalmente, coragem do amigo.
             -Ta, então tu beijou a segunda mais feia, grande diferença... PUTZ! E essa loira aqui do lado? – o olhar do garoto ficou perplexo ao abrir uma das fotos do encontro no Facebook – Tomou um toco dela e depois partiu pra rapa?
             -Mestre, segunda mais feia não, eu diria a terceira menos bonita, soa melhor... Ah, essa loira ai? Nem levei o toco não. Por que eu iria de cara na loira? Isso qualquer um faria, caralho!
              -Óbvio, até o mais bêbado da Babilônia! E olhe só essa moreninha aqui, bem mais comestível que as outras. Ela ou a loira, as demais, fora de cogitação
              Procurando dissuadir Shears de todas as formas possíveis, o amigo  lhe mostrava agora fotos da loiraça em seu singelo álbum “Cancun 2010”.
              -Vamos refletir, meu caro. Certo, se coloque no lugar da delícia aí, quatro amigas saem juntas: ela, a perfeição da natureza, coelhinha da Playboy  e, as outras,  consideravelmente em um mesmo nível. Aposto meu cú e trinta conto que quando cheguei pra conversar com aquelas “chicas” a nossa lindinha esperava ser alvo das minhas investidas furtivas. Porém, como imagina ter sido seu desapontamento? Como você se sentiria sendo trocada por uma “coisa dessas”? A probabilidade de sucesso com as duas se torna maior, sendo que ela deixamos para uma outra pedida. Concorda?
              Ao término do que mais parecia ser uma defesa de mestrado, os dois puseram-se a rir descontroladamente.
              -Eu estou falando sério! – insistiu Shears -  as consequências de um orgulho feminino ferido são grandes, meu caro, agora, nossa belezinha vai fazer de tudo  para provar que também é capaz de realizar a proeza que sua amiga fez! E, é claro, a proeza a ser realizada envolverá diretamente a minha pessoa e, para evitar que haja algum conflito entre as duas, cederei aos desejos da pobre donzela. Direitos iguais, não é mesmo?
              -Não viaja, cara! Larga esse violão e para de falar bosta! Estamos atrasadas para a aula de Filosofia, tio Led, com toda certeza, está ansioso para nos explanar um pouco mais sobre o malandro do Maquiavel.
              Os rapazes abandonaram o ócio do velho apartamento e partiram em direção ao terror e turbulência da escola.
              Já dentro do elevador disse Shears de maneira reflexiva:
              -Maquiavel, esse é o cara! Aposto que ele me daria razão: os fins ainda justificarão os meios!
               


domingo, 6 de novembro de 2011

...

Penso, logo, existo
Mas, se penso e sei que existo,
Sofro porque existo
Penso, sofro e ainda resisto

Da caneta à enxada existem n'determinações
Ações, revoluções e compulsões,
Não obstante poucas revoluções
O teatro cotidiano que te veste de palhaço

Penso, logo, penso
A lógica absoluta da vida
Bastar-se a si mesmo
Assim como a nada...

Quem dera eu
Ignorar tudo que sei
Sem saber que assim o faço
Viver por viver e mais nada.

Eduardo Gerino"

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Teatro de fantoches em uma terra de gigantes

-Compre!
-O.k.
-Use!
-Uhum.
-Alugue!
-Certo.
-Pague!
-Sem problemas.
-Venda!
- Tá.
-Consuma!
-Sim, sim.
-Produza!
-Pode deixar.
-E aaaaah, já ia me esquecendo de um pequeno detalhe: Viva.
-...



Isso é o  que pedem de nós, e isso pode ser apenas o que podemos fazer.
Portanto, enquanto fizermos o que pedem de nós, isso será apenas o que poderemos fazer.

                                                                           Confuso? Quem sabe.
                                                                           Eduardo Gerino”




sábado, 23 de outubro de 2010

SIGN IN


            Login: eduardogerino
Password: ********

Orkut, MSN, Twitter, Lasfm, Formspring, Facebook, Youtube, WeHeartIt e blá, blá, blá. Os adolescentes dos dias de hoje se encontram cercados pelos mil e um utilitários da Internet e seus computadores de mais alta velocidade juntamente com seus bilhões de bytes de memória.
Evolução? Progresso? Ou quem sabe, globalização? Sim, sim, o setor tecnológico desde a Terceira Revolução Industrial é o que evolui de maneira mais rápida até os dias de hoje. A sociedade se torna cada vez menos rústica e mais artificial.
Conceitos como sexo-online se tornam novos, porém, bastante usados, enquanto cartas como as de antigamente perdem seu valor e sentido. Rosas roubadas e serenatas ao som de um violão são raras, afinal, você pode usar o som do seu carro, e até mesmo enviar a ela um belo buquê virtual acompanhado de uma mensagem com “musiquinha” de fundo. Saudade? Difícil ein, já que algumas horas no Skype podem resolver isso. Mensagens nos celulares podem condenar mais do que marcas de batom em um colarinho, e querendo ou não, e a realidade que vivemos. hehe
“Talvez eu seja o último romântico”. Os que ainda restam são considerados cafonas. Romantismo? Pra que isso? Já dizia meu pai: “Quem gosta de homem bonito e romântico é viado. Mulher gosta é de carteira cheia.”. Muitas fogem dessa regra, porém, é triste saber que se pode aplicá-la a muitas.
O “Eu te amo” foi banalizado. Afinal, é tão fácil dizer essas palavras juntas com um s2 (L *_* e apertar um ENTER. As sensações de dizer isso ao pé do ouvido de alguém com verdadeiro sentimento em suas palavras estão quase perdidas.
Negócios de bilhões de dólares são fechados com uma ligação. Relacionamentos de meses ou quem sabe anos são terminados com um sms.  Segredos são revelados, fofocas espalhadas, privacidades quebradas, e tudo isso é facilmente divulgado, de maneira barata e rápida.
           Como uma faca de dois gumes a Internet e seus derivados tem seus prós e contras. Com toda certeza esses avanços vieram para ficar e tem ajudado bastante a todos, porém, sem dúvidas alguma eles afastaram as pessoas de maneira incalculável.
           Vamos valorizar as coisas pequenas, as amizades, a família. Vamos deixar de dormir todo dia com vontade de fazer alguma coisa para que, no dia de amanhã, não acordemos arrependidos de tudo aquilo que não fizemos.

           Eduardo Gerino” está convidando você para continuar perdendo sua vida social em frente a esse computador.
Aceitar (Alt+C)          Recusar (Alt+Z)

 SIGN OUT

Welcome to the jungle

        Sejam todos bem-vindos ao meu blog, ou como diria o próprio Axl: “Bem vindo à selva, baby.”. Sendo eu um dependente mais do que declarado da internet, assim como metade das pessoas nascidas de 90 pra cá, não sou nada do tipo blogueiro. Encaro isso aqui como uma forma de desabafar e expressar minhas idéias, e também é claro, conhecer outros pontos de vista, sendo eles diferentes do meu ou não.
        Agradeço a todos que perdem um pouquinho do seu tempo lendo as bobagens que aqui falo. Não se sinta frustrado se não entender algo, pois muitas de minhas idéias podem levar a muitas e, ao mesmo tempo, nenhuma explicação.
        Deixo o meu grande pesar a todos que não gostam de mim ou do que eu escrevo e, mesmo assim, continuam lendo o blog. Se você é uma dessas pessoas aperte Ctrl+W e descubra, agora, o nome do amor da sua vida. ;x
        Ok, that’s all guys. Sempre que possível postarei alguma coisa aqui pra vocês e gostando ou não, peço encarecidamente pelo comentário de todos. xD

Beijos e abraços a todos. =*